• Rúbia Gioli

#Submetido #a #riscos

#Caminhoneiro #com #tanque #reserva #tem #direito #adicional #de #periculosidade


O motorista de um caminhão que tem tanque reserva com capacidade superior a 200 litros tem direito a adicional de periculosidade, pois a situação se equipara ao transporte de produto inflamável. Assim entendeu a 2ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho ao condenar uma transportadora a pagar o adicional a um motorista carreteiro que conduzia o veículo com um tanque reserva com capacidade de 360 litros.

O relator do caso, ministro José Roberto Pimenta, afirmou que, tendo em vista a capacidade máxima de armazenamento dos dois reservatórios do caminhão, o motorista chegava a conduzir até 720 litros de combustível. "Tal volume se revela significativo, caracterizando risco acentuado", disse.

morguefile.com

Caminhoneiro com tanque reserva com capacidade para mais de 200 litros tem direito à adicional de periculosidade

De acordo com o ministro, é indiferente se o combustível é armazenado em tanques originais de fábrica, suplementares ou alterados para ampliar a capacidade do tanque original. "O que submete o motorista à situação de risco é a capacidade volumétrica total dos tanques, nos termos do artigo 193, inciso I, da CLT e do item 16.6 da Norma Regulamentadora 16", concluiu.

O juízo de primeiro grau havia deferido o adicional de periculosidade ao motorista. No entanto, o Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região afastou a condenação alegando que o motorista não estava exposto a risco. Na 2ª Turma do TST, a decisão foi por unanimidade. Com informações da assessoria de imprensa do TST.

Processo: RR-10462-52.2017.5.18.0015

Revista Consultor Jurídico, 14 de junho de 2019, 7h31

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

STF

Plenário admite a contagem do tempo em atividade insalubre ou perigosa para aposentadoria especial O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que, até a edição da Reforma da Previdência (Eme

Queda livre

Rebaixamento de função não é motivo para indenização por danos morais, diz TST O rebaixamento de função não é motivo suficiente para o pagamento de uma indenização por danos morais, de acordo com a 1ª

Busca e apreensão

Veículo vendido indevidamente deve ser ressarcido com base na tabela Fipe, diz STJ Por Danilo Vital O ressarcimento do devedor fiduciário pela improcedência de ação de busca e apreensão, mas cuja limi

© 2017 por Mendonça & Rocha Advogados Associados. 

SIGA-NOS:

  • w-facebook